22.8.12

Acordei devagar e sem pressas, esta noite dormi sem pensar, o que no fundo me acalmou esta maldita ânsia de querer saber de ti. Fui até à casa de banho, olhei-me ao espelho, lavei o rosto com água fria ao mesmo tempo que o meu coração batia de cansado, logo pela manhã... De certo que não me esqueci que hoje tínhamos combinado um café, acompanhado pelo fumo forte de um cigarro, que nos mata aos poucos, mas que nos adormece as feridas. Para lembrar os bons velhos tempos, ou melhor os dias carregados de sorrisos, porque tu fazias-me sorrir. Acabei a vestir um vestido doce e fino de verão, prendi o cabelo com dois mal-me-queres, um deles seria teu, para te lembrares que nem sempre está escuro e que a escuridão não carrega o medo atrás. Sei de cor todos os teus fantasmas, todas as vezes em que cais no chão com uma vontade súbita de acabares com aquilo que ainda chamas de vida. Mas como me dirias "a vida é boa, a vida conhece-nos e Deus não dorme", se Deus existe mesmo irá zelar por ti e acompanhar-te-à neste vazio que te preenche. Desculpa um mal-me-quer não ser o suficiente para ti, eu sei que mereces a luz do sol, as palmas do publico e a tua viagem de sonho, sei que jamais serei capaz de te segurar para que não tropeces no mundo lá fora. Mas eu continuo aqui, de vestido, aquele que dizes que me fica tão bem, quando me chamas de princesa do mar e me encolhes os ombros quando te pergunto se gostas de chocolate quente. Daqui não saiu, e mesmo que a tua alma esteja pesada demais, eu estarei deste lado a ver-te. Eu gosto tanto, gosto tanto de te ver. És uma flor para mim. 

2 commentaires:

may rose a dit…

estou sem saldo princesa, e ainda bem que estás melhor pequenina :3

may rose a dit…

tenho andado devagar, que é o meu ritmo princesa!