17.10.12

Eu sei que vais ficar a ver-me da janela. De pé ante pé vou saindo, deixando rasto e calando todas as tuas acusações súbitas de um amor doentio. Aquele que tu dizes ter por mim. Calo-te as palavras e vou calando também o teu choro, que eu sinto que só quer sair-te pelos olhos e pingar-me aos pés. Em forma de socorro absoluto. Só que tu já não sabes mostrar-me o céu e eu já não sei mostrar-te as estrelas. E duas partes não têm apenas que se amar mutuamente, terão que se completar em defeitos e qualidades. Moldarem o físico ao psicológico e andarem de mãos dadas. Não para que todo o mundo esteja a assistir, mas para que existam razões para estarem juntos. Sem ser apenas o amor que sentem. E o nosso grande problema é mesmo esse. Deixámos-nos de completar, e corríamos sempre o risco de não conseguirmos mais esperar algo de ambas as partes. Mas eu não quero esticar mais a corda, tal como nós, ela tem limites. Por isso decidi sair. Desejar-te boa sorte e fechar a porta. Ou melhor as duas portas. A porta de tua casa e principalmente a porta que se abriu no meu coração só para ti. 
Admito que me irá incomodar todos os dias não ter um sorriso de bom dia, uma mensagem deliciosa, um pequeno almoço na cama, ou até um beijo quente no Inverno. Mas tanto eu como tu sabemos que tudo isto já fazia parte de um passado risonho e que não conseguimos trazer para o presente. 
Tanto eu como tu já não sabíamos viver. Mas acredita que esperei, esperei horas, dias e até minutos que me trouxesses numa bandeja o passado. Aquele que fazia um nós completo. 
Só que a sorte não é para todos, e eu nunca tive qualquer tipo de sorte nessas coisas. Sabes? Eu contigo acreditava em tudo. Até no amor. Sabia defini-lo. E eu não era assim. Vazia. Sem forças e a deixar-me levar pela chuva que ainda agora começou. Só queria continuar este caminho tão longo e doloroso, em que o vento me acolhe todas as noites e os meus pés esfriam por não te ter por lá. Só queria sorrir de manhã até à noite. Sem ti. Continuas então a olhar-me pela janela, mesmo sem sentires o meu cheiro e de eu já me encontrar em minha casa. 

4 commentaires:

Jun a dit…

é esse o numero que eu tenho xd

may rose a dit…

para pesadelos pequena :')
oh amor sabes que odeio ver-te assim, sabes que sim!! fogo :((

ana rita a dit…

e vais conseguir. Tens de lhe largar a mão e deixar de pensar nele, para puderes pensar mais em ti. Tens um coração bonito, vais encontrar alguém que saiba cuidar dele.

Jun a dit…

mandar-te-ei!